Ideário arminiano. Abordagens sobre a teologia clássica de Jacó Armínio: suas similaridades, vertentes, ambivalências e divergências.

quinta-feira, 24 de maio de 2012

O servo e o soberano

O servo e o soberano

Josué Oliveira Gomes*

Matutando comigo mesmo sobre a questão de servir a Deus, me lembrei que sou também um filho dele. Mas, como seria isso? Sou filho ou sou servo? Sou um servo que é filho ou um filho que serve? Sei lá! Uma coisa penso ser verdade. Não creio que me seja exigido uma obediência cega, ainda que leve em conta minha ignorância e sua soberania. Creio na soberania de Deus, mas não o vejo como os soberanos antigos (ou modernos), déspotas inatingíveis e inalcançáveis. Quando leio a bíblia percebo que Deus, consegue abdicar de sua soberania com o firme propósito de se colocar ao nível dos seres humanos, aliás, ele se rebaixa ainda mais e lava os pés de quem ama. E, a quem ele se recusa amar? Quando descubro isso como verdade libertadora, me vejo na condição de filho amado que se dispõe a servir. Não como um servo encabrestado. Apesar da preferência ou única condição (cabresto) de tantos, Deus não parece desejar ser servido à base da imposição ou à custa de cabresto. Deus não nos chama para sermos soldadinhos bem arrumadinhos que sabem do dever de obediência. Foi Jesus quem ensinou que deveríamos chamá-lo Abba, também disse que o Pai, melhor do que nós, sabe como tratar seus filhos. O que me faz obediente (quando o sou) não é o poder de sua soberania, mas o seu terno e doce amor que liberta. Falando nisso, não quero ser reconhecido como um servo de Deus como se isso fosse uma imposição de um soberano intocável, assentado em um trono esperando receber todo louvor e toda honra e toda glória. Prefiro ser percebido por aquele a quem posso chamar Abba-Pai e, percebendo-o como tal, me sentir livre para servi-lo. Vocês lembram do escravo de orelha furada amostrado no Pentateuco? Tal escravo tem em suas mãos a alforria que lhe garante a liberdade, o ser dono de seu nariz, cuidar de sua vida se lixando pro que acontece ou não na casa e ambiência de seu senhor. Mas, digamos que o sentimento e consciência do escravo fosse de que agora que conhece o valor da liberdade, se vê livre para poder servir. Ali estão as pessoas que fazem parte de sua história. Ali estão as pessoas caras de suas relações. Ficar em casa não seria ficar escravo, mas se ver livre para servir, o que equivale a amar. O amor exige por si esforço. A consciência do amor libera disposição para se doar. Foi isso que aconteceu (creio) no coração e cabeça de Jesus em relação ao Pai. E é isso que deve refletir em nossas relações com o Pai e com os outros. Então pega a sovela e fura a orelha, pois isso é sinal da voluntariedade e do despojamento de todas as individualidades. Também é sinal de não aceitar o comodismo da auto-suficiência. Pois quando sou livre para servir, a isso me proponho ou não. Feliz é aquele que se vê livre e, por ser livre serve. E, servindo, se parece mais com o Filho de Deus que não se aproveitando da glória do ser filho, serviu em amor até o fim, o que foi isso que o identificou como verdadeiro filho digno de toda honra.

*Josué Oliveira Gomes.
Pastor na Igreja Betesda em Maceió.
______
Fonte:

3 comentários:

  1. Bom texto! Parabéns. A referência ao escravo que fura a orelha está em Êxodo, cap. 21.5-6. Entendo que essa referência bíblica é uma metáfora para representar nossa submissão voluntária ao Senhor. Escolhemos livremente servir a Ele e só a Ele e temos que declarar isso publicamente (essa é a sovela: o nosso selo como filhos).

    ResponderExcluir
  2. Companheira Benedita, saúde.

    Esse texto foi escrito como muita graça pelo Pastor Josué. Se você desejar conhecer outras reflexões do Pastor, abaixo do texto você poderá acessar o seu blog.
    Como você e o pastor Josué, creio também que a opção por servir a Deus é livre, e quem o ama falo-a com prazer; sendo tratado, pela sua graça, como filho.

    ResponderExcluir
  3. Olá amado irmão!

    Na vida há sempre irmãos desempregados, irmãos que precisam melhorar no trabalho, irmãos que gostariam de estudar mas não tem condições. Foi pensando nisso que criei um trabalho voluntário e gostaria que, se possível, espalhassem essa semente de amor.

    É um curso de inglês online 100% gratuito com download de áudio em MP3 e vídeos do youtube para qualquer pessoa desfrutar.

    O site é www.falandoingles.com, por favor compartilhe com todos e faça essa semente germinar!

    ResponderExcluir

Minha foto
Como Jacobus Arminius acredito que: "As Escrituras são a regra de toda a verdade divina, de si, em si, e por si mesmas.[...] Nenhum escrito composto por Homens, seja um, alguns ou muitos indivìduos à exceção das Sagradas Escrituras[...] está isento de um exame a ser instituído pelas Escrituras. É tirania, papismo, controlar a mente dos homens com escritos humanos e impedir que sejam legitimamente examinados, seja qual for o pretexto adotado para a tal conduta tirânica." (Jacobus Arminius) - Contato: lailsoncastanha@yahoo.com.br

Arquivo do blog

Visitas:

Visitantes online:

Seguidores